5 coisas para não fazer na criação do seu jogo!

21 de Setembro de 2017

Olá investigadores!

Sou o Thiago H. Ferri, agente especial da Sherlock S.A. e primeiramente peço desculpas por ter ficado alguns dias sem escrever, mas foi por uma boa causa... Overdrive! A Batalha das Bandas está chegando! É isso aí amigos, estamos focando nosso tempo nesse incrível jogo, um euro leve com mecânicas de Alocação de Dados, Coleção de Cartas, Gerenciamento de Recursos e Habilidades Variáveis, dos autores Moisés Pacheco e Bianca Melyna.

Hoje resolvi separar algumas dicas para ajudar na sua criação. Na verdade elenquei alguns pontos que NÃO SE DEVE FAZER, lembrando mais uma vez que não somos os donos da verdade e cada criador tem um perfil próprio; de qualquer forma vamos lá. São dicas rápidas e fáceis das quais espero que façam a diferença para você.


1 – Ignorar a opinião alheia.

É sempre bom quando falam bem de seu jogo não é? Mas as opiniões de negativas e neutras são muito importantes, assim como ideias novas para o jogo e pontos que o jogador não gostou e acha que precisa melhorar. Fique atento a tudo que envolva mudar a sua criação.

É muito importante saber ouvir e ver o que está acontecendo, e porque essa pessoa sugeriu ou disse isso sobre seu jogo. Escute, avalie e se for válido adapte. Novamente escute, avalie e se for válido adapte novamente.


2 – Amar demais.

Podemos dizer que essa dica meio que casa com a ideia da primeira. Todos nós amamos nossos jogos, são nossas criações, quase um filho. Mas, não ame demais! Não fique cego pelo amor ao seu jogo, muitas das vezes você vai precisar ouvir a razão para entender o que os jogadores dizem sobre seu jogo, deixando sua paixão de lado.


3 – Testar pouco.

Testar é um dos principais pontos para seu jogo ficar equilibrado e redondo, portanto não tenha preguiça de testar, testar, testar... Veja o artigo que criamos falando sobre os testes: Testar, testar e testar...


4 – Procurar pela perfeição.

Ter o jogo perfeito é o sonho de todo designer, mas será possível? Pode ser que sim, mas até quando você vai ficar mexendo em seu jogo? É importante saber a hora de parar, aquele momento que seu jogo está legal... acredite, procurar essa perfeição pode afastá-la dela.


5 – Nunca tentar lançar.

Acontece muito, talvez até pelo motivo elencado anteriormente no item 4, do designer ficar com medo da patente do seu jogo (já falamos sobre isso aqui Tenho medo que copiem meu jogo) e acabar nunca lançando no mercado. Atualmente, temos diversos meios de lançar jogos, seja PNP, Game on Demand, e até mesmo através de Editora. Seja de forma Independente ou por Financiamento Coletivo, o importante é tentar, pois nenhum jogo bacana deve ficar escondido atrás do medo ou insegurança.


É isso aí pessoal, essas foram as cinco dicas de ERROS que não podem ser cometidos durante a criação de seu jogo. Espero ter ajudado e quem sabe muito em breve, não vejo seu jogo publicado.

Então investigadores, por hoje é só. Espero que tenha esclarecido mais sobre suas dúvidas e agradeço seu tempo por passar em nossa página. Críticas e sugestões, por favor, envie um e-mail para contato@sherlocksa.com.br ou acesse nossa Fanpage.


O que gostaria de saber para semana que vem?



Sherlock S.A.
contato@sherlocksa.com.br

Rua Palmas,580
Francisco Beltrão - PR
85605-060

Todos os direitos reservados a Sherlock S.A.