Protótipo ou Projeto Piloto?

11 de Agosto de 2017

Olá Investigadores!

Eu sou o Thiago H. Ferri, um dos investigadores da Sherlock S.A. e vou conduzir nossa aventura pelo mundo da criação dos jogos analógicos.Com a ajuda de alguns de vocês essa aventura irá muito longe, por isso nos ajude com suas ideias e sugestões. Vale lembrar que tudo que falarmos nessas séries de postagens não é fixo e imutável,mas sim a visão que temos da criação de jogos. O importante é saber que cada criador tem seu próprio método, e você precisa descobrir o seu.


Tem alguma dúvida sobre algum assunto? Quer participar? Que tal enviar um material seu para fazermos uma nova postagem? Quer falar especificamente de assuntos que tem mais interesse? Queremos muito a sua participação, portanto envie um e-mail com o assunto“Investigando e Criando” para o e-mail contato@sherlocksa.com.br ou entre em contato pela nossa fanpage no Facebook Sherlock S.A.


Mas chega de delongas e vamos a nossa a ventura!

Para começar nossa aventura vamos criar um personagem… er....opss …na verdade o que eu quero dizer é que nossa postagem vai focar no processo do início da criação, por onde começar, protótipo ou um projeto-piloto?


É claro que a primeira coisa que fazemos quando temos vontade de fazer um jogo, é formatar uma ideia, e até então uma ideia “não é um jogo”. Em seguida vem a pergunta: por onde eu começo?


Pra ser mais direto, a maior parte dos futuros ‘’jogos’’ não passam dessa etapa. Formatar a ideia é só a pontinha da criação,portanto se você teve uma boa ideia, comece anotando e não deixe somente na sua mente. Eu particularmente tenho como costume manter as novas ideias anotadas no celular, pois muitas das vezes estou fora de casa.


Nem sempre as ideias anotadas são boas, mas como você vai saber? O importante é não confiar na mente, pois as melhores ideias podem se perder em devaneios. Muito bem, com tudo anotado, está na hora de fazer o que chamo de Projeto Piloto. E o que seria esse Projeto Piloto Thiago?


Vamos lá! Projeto Piloto é o momento em que eu agrupo e organizo minhas ideias e crio um esboço, uma espécie de documento no computador explicando para mim mesmo como eu quero o jogo, que mecânicas vou criar, o que pretendo fazer, como o jogo pode funcionar... mas, como o próprio nome diz, é só um Projeto Piloto. Saiba que durante todo o processo isso tudo vai mudar, mudar muito, e esse piloto será abase para você iniciar. 


O jogo ‘Fábrica dos Sonhos’, meu último jogo lançado em parceria com o Renato Morroni, já teve outros nomes e já foi bem diferente do que é hoje. Em primeira mão, veja como foi a ideia piloto do jogo ‘Fábrica dos Sonhos’

Anomalias.pdf


Esse foi nosso Projeto Piloto antes dele se tornar Fábrica dos Sonhos, e acredite, ele ainda teve outras versões antes disso. Aí você me pergunta, ‘devo pensar no tema ou mecânica’? Não temos uma fórmula para isso, você deve fazer do jeito que achar mais gostoso,pois uma das coisas mais importantes em criar é poder se divertir com o que está fazendo. Eu particularmente gosto de fazer os dois juntos, pois gosto muito que o tema case com a temática. 


Beleza Thiago! Agora tenho meu Projeto Piloto e estou pronto para fazer meu jogo, certo?


Sim e não! O Projeto Piloto é o pontapé para começar seu jogo, e em seguida vem a Prototipação. Já adianto que o primeiro protótipo,em sua grande maioria, será horrível. Nem sempre o que você pensou no Piloto vai funcionar aqui.


Protótipo do Possessão Arcana

Um dos protótipos no início do Possessão Arcana. Muita coisa mudou!


Então,com o Projeto Piloto em mãos monte seu protótipo. Nesse momento não se preocupe se ele vai ser feio e não vai ter ilustrações,tecnicamente não importa tanto nesse momento. O mais importante é você ver como o protótipo vai funcionar, e nessa etapa é bom ter alguns amigos para auxiliar, mas amigos que realmente sejam sincero sem avaliar e opinar sobre o jogo que acabaram de testar. Normalmente meu primeiro protótipo eu testo sozinho, porque se estiver muito ruim eu não traumatizo ninguém com isso. (risos)


Então por que você disse “Sim e não”? Quando faço meus protótipos,como o nome já diz, não considero eles como jogos e sim como algo que talvez um dia seja um jogo. A criação do jogo é algo demorado e complexo. Esse protótipo que acabou de criar ainda vai mudar muito e por isso deve ser muito bem testado, até que esteja encorpado o suficiente para ser um jogo. E “encorpado” não é relacionado ao tamanho ou número de componentes, e sim ao conteúdo e diversão que ele proporciona aos jogadores.

Já usamos muitos feijões em nossos testes :).


Ou seja, isso é só o início, como o ‘Fábrica dos Sonhos’, que já foi chamado de Anomalias, Corruptos e alguns outros nomes. Criar um jogo é um desafio, que deve se dado passo a passo e tudo ao seu tempo.


Gostou dessa postagem? Cadastre-se em nossa newsletter aqui.


Envie suas dúvidas, sugestões e críticas para: contato@sherlocksa.com.br


Para a próxima postagem vamos falar sobre “Apresentar meu jogo? Alguém vai copiar!”.

Não esqueça, tente, tente novamente, estude e tente mais uma vez, mas não desista.


Até a próxima!


Sherlock S.A.
contato@sherlocksa.com.br

Rua Palmas,580
Francisco Beltrão - PR
85605-060

Todos os direitos reservados a Sherlock S.A.